Lula destaca investimentos brasileiros em energia verde

Por Redação em 29/11/2023 às 12:35:51

Em discurso a empres√°rios brasileiros e sauditas, nesta quarta-feira (29), o presidente Luiz In√°cio Lula da Silva falou sobre as oportunidades de investimento no Brasil, destacando os projetos em energias verdes. Lula est√° em Riade, na Ar√°bia Saudita, primeira parada da viagem ao Oriente Médio onde também participa da 28¬™ Confer√™ncia das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 28), em Dubai, nos Emirados Árabes.

"No Brasil, nós estamos levando muito a sério essa questão da energia renov√°vel. E voc√™s j√° sabem que nossa energia elétrica é quase 90%, totalmente, renov√°vel. O potencial do Brasil e das energias é muito grande, e nós queremos construir parceria com voc√™s e que sejam sócios do Brasil no desenvolvimento dessa nova matriz que o mundo precisa, que o mundo sonha e que nós podemos oferecer", disse, no encerramento do fórum empresarial organizado pela Ag√™ncia Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e pelo governo saudita.

Assim como a Ar√°bia Saudita é um dos pa√≠ses mais importantes na produção de petróleo e g√°s no mundo, Lula acredita que o Brasil pode ser um centro na produção de energias alternativas e, daqui a 10 anos, poder√° ser chamado de "a Ar√°bia Saudita da energia verde". "É para isso que nós estamos trabalhando", disse, reafirmando ainda o compromisso do Brasil em alcançar o desmatamento zero até 2030.

"Nós precisamos, todos, trabalhar com muita responsabilidade para descarbonizar o planeta, para que a gente possa viver de forma mais digna, com melhor qualidade de vida e sem medo de que nós estamos destruindo a casa onde moramos", disse, alertando para ao afeitos das mudanças clim√°ticas.

Lula defendeu que o Brasil possui uma boa base intelectual e cient√≠fica-tecnológica, empresas de ponta, além de um sistema financeiro sólido, e chamou os empres√°rios sauditas a constru√≠rem parcerias com as empresas brasileiras. "Para que as empresas brasileiras gerem desenvolvimento no Brasil, mas gerem o desenvolvimento também na Ar√°bia Saudita. Que a gente gera emprego no Brasil, mas que gere emprego na Ar√°bia Saudita. E que a gente possa vender ao mundo as coisas com melhor qualidade para que o mundo possa sobreviver", disse, citando ainda parcerias nas √°reas industrial e do agronegócio.

Como exemplo, Lula também citou a possibilidade de investimentos em fertilizantes, para "dar uma garantia ao mundo com a incerteza criada pela guerra da R√ļssia na Ucr√Ęnia". A R√ļssia é um grande fornecedor de insumos, mas sofre um forte embargo econômico por causa de invasão militar na Ucr√Ęnia, o que impactou o comércio global desses produtos.

"Nós estamos falando de crescimento econômico e desenvolvimento quando parte do mundo fala em guerra", disse Lula, defendendo ainda o di√°logo para a resolução dos atuais conflitos pelo mundo. "A guerra, ela não traz nada a não ser miséria e morte", ressaltou.

Brics e COP 30

Ainda, Lula cumprimentou os sauditas pela entrada do pa√≠s no Brics - bloco composto por Brasil, R√ļssia, China, √ćndia e África do Sul. A partir de janeiro de 2024, Argentina, Ar√°bia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos, Etiópia e Irã integrarão o grupo.

Na oportunidade, o presidente cobrou aportes do pa√≠s do Oriente Médio no Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), para financiamento de mais pa√≠ses. "A Ar√°bia Saudita precisa ajudar a fortalecer o banco do Brics para que a gente possa mudar a faceta com os bancos multilaterais, para que eles possam financiar o desenvolvimento dos pa√≠ses mais pobres, sem taxas de juros escorchantes que termina por matar qualquer possibilidade de investimento dos pa√≠ses", disse.

Em 2025, o Brasil presidir√° o Brics e também sediar√° a COP 30, em Belém, no Par√°. O presidente convidou o pr√≠ncipe herdeiro da Ar√°bia Saudita, Mohammed bin Salman, que tem a função de chefe de Estado, a atuar junto ao Brasil nesses eventos e a visitar o pa√≠s na ocasião da COP 30.

Lula e Salman se reuniram ontem (28) em Riad. Os dois l√≠deres estimam que as transações comerciais entre os dois pa√≠ses podem saltar dos atuais US$ 8 bilhões para US$ 20 bilhões até 2030.

"A partir dessa reunião outras dezenas de reuniões vão acontecer, porque o compromisso meu e o compromisso da Sua Alteza, o pr√≠ncipe herdeiro, é de que nós vamos cobrar de voc√™s a execução de uma pol√≠tica mais ousada, de uma pol√≠tica mais corajosa, porque o mundo est√° precisando de bons exemplos. E o Brasil e a Ar√°bia Saudita podem ser esse exemplo de dinamismo", disse Lula aos empres√°rios.

Ainda hoje, o presidente participa de outro evento em Riad, de promoção de produtos da empresa brasileira Embraer. Na sequ√™ncia, segue para Doha, no Catar, onde também aproveitar√° o contato com lideranças pol√≠ticas e empresariais para aprofundar e diversificar a relação bilateral.

Além disso, o presidente deve tratar da guerra entre Israel e o grupo pol√≠tico-militar palestino Hamas, que controla da Faixa de Gaza. O Catar é um interlocutor junto ao Hamas para negociações em relação ao conflito.

As agendas no Catar ocorrem nesta quinta-feira (30). No mesmo dia, na sequ√™ncia da visita ao Oriente Médio, a comitiva presidencial desembarca em Dubai, nos Emirados Árabes, para participar da COP 28.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
Radio Jornal de Caceres
InfoJud 728x90
Combate a dengue 2023