Agro Noticia 728x90

Vagas de trabalho em 2021: o que esperar e como se preparar

Por Redação em 04/01/2021 às 05:45:31
Setores como saúde, e-commerce e tecnologia, alguns dos que mais contratam em 2020, devem continuar aquecidos em 2021; recrutadores preveem retomada gradual das contratações e dão dicas de como sair na frente. Apesar de o desemprego ainda estar em taxas recordes, o mercado de trabalho em 2021 deve retornar as contratações de forma gradual, impulsionado pela retomada - ainda que lenta - da economia e pela perspectiva de vacinação em massa contra a Covid-19, apontam especialistas.

Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que reúne as contratações e demissões no mercado de trabalho com carteira assinada, mostram que o número de vagas vem subindo desde julho, apesar de a geração de empregos no acumulado do ano ser bem inferior na comparação com o ano passado. Por isso a cautela dos recrutadores em relação ao reaquecimento das contratações.

O G1 ouviu algumas das principais empresas de recrutamento do país sobre a abertura de vagas e os setores que devem trazer mais oportunidades. São elas: Banco Nacional de Empregos (BNE), Catho, Indeed, Robert Half e Workana.

Brasil gera 414.556 vagas de emprego com carteira assinada

Veja lista de cargos que deverão estar em alta em 2021

Setores em alta

De acordo com Fernando Morette, CEO da Catho, a retomada que já ocorre nos setores da indústria e comércio certamente abrirá novas oportunidades em 2021. E as demandas ocasionadas pela pandemia devem continuar alavancando as vagas em áreas como saúde, e-commerce, marketing digital e tecnologia.

De acordo com levantamento da Catho feito exclusivamente para o G1, os cargos abaixo são alguns dos mais promissores para 2021:

Gerente de Mídias Sociais - crescimento de 1.077% em 2020

O que esse profissional faz: organiza as diversas ações de marketing e relacionamento associadas às redes sociais e diversas mídias. Atua com abordagem estratégica e gerencial com o uso das redes sociais pelas empresas.

Perfil: profissional precisa ter conhecimento de redes sociais, produção de conteúdo e ferramentas disponíveis pelas plataformas. O olhar analítico para traçar as melhores estratégias de divulgação também são características determinantes.

Por que está em alta: a necessidade de isolamento social consolidou o uso das redes sociais para promoção e venda de milhões de produtos e serviços. Por isso, o profissional especializado em mídias sociais, como o gerente, se tornou ainda mais necessários para as empresas, pois, é ele quem traçará as melhores estratégias para que o seu produto seja visto dentre os milhares de anúncios encontrados todos os dias pelos usuários nestes sites e aplicativos.

Atendente de e-commerce - crescimento de 1.033% em 2020

O que esse profissional faz: atende clientes da loja virtual por telefone, chat ou e-mail para auxílio na finalização de pedidos ou em dúvidas gerais. Cadastra produtos no site e participa na elaboração de estratégias comerciais.

Perfil: profissional deve ter perfil de vendas, afinidade com escrita e sólido conhecimento em internet, programas de mensagens eletrônicas e redes sociais.

Por que está em alta: o nicho tem se destacado cada vez mais nos últimos meses por ter se tornado a única maneira de permanecer comprando e vendendo em meio à pandemia e consequente necessidade de isolamento social. E neste contexto, o profissional, responsável por viabilizar a compra e venda desses produtos ofertados virtualmente, se torna cada vez mais essencial para a sustentabilidade da operação e dos negócios de milhares de empresas. A tendência é que, mesmo após a pandemia, a demanda siga em alta.

Cientista de dados - crescimento de 252% em 2020

O que esse profissional faz: aliado ao conhecimento do negócio, profissional analisa dados, que serão usados pela empresa para a tomada de decisões.

Perfil: é essencial sólida compreensão de estatística, incluindo testes e distribuições, além de se manter atualizado sobre técnicas analíticas, como Machine Learning, Deep Learning, Inteligência Artificial (IA) e análise de texto. É indicado ao profissional trabalhar com uma variedade de linguagens de programação, incluindo SAS, R e Python.

Por que está em alta: área de trabalho tem ganhado cada vez mais destaque, uma vez que o maior ativo das empresas hoje são os dados, e é de interesse do negócio saber padrões de comportamento de seus clientes, produtos e serviços. Cabe a esse profissional reunir, interpretar e comunicar toda informação relevante contida em toneladas de dados que as empresas armazenam e dar a eles valor e relevância. Com a pandemia e o aumento exponencial das compras e transações on-line, o profissional ficou ainda mais requisitado e imprescindível.

Especialista DevOps - crescimento de 250% em 2020

O que esse profissional faz: atua próximo ao time de desenvolvimento de software, ampliando o conhecimento dos desenvolvedores sobre infraestrutura, disseminando práticas da cultura DevOps e contribuindo para aumentar a velocidade e qualidade nas entregas de valor. Na prática, é o profissional que trabalha trazendo mecanismos para termos mais confiabilidade e qualidade para os sistemas, desde a idealização do produto, passando pela implementação até a entrega para o cliente final.

Perfil: especialista deve pensar em formas de simplificar processos, aumentar eficiência do uso de infraestrutura, alcançar maior qualidade nas entregas e reduzir o tempo de resposta das aplicações para o cliente. Acompanhar indicadores de performance dos sistemas, entender como ampliar os dados capturados e levar essa conscientização para os desenvolvedores também faz parte do trabalho. Profissional deve estar focado em tecnologias de mercado, ter conhecimento em metodologias de desenvolvimento e proatividade para automatizar processos e tarefas. Também são imprescindíveis conhecimentos em arquitetura de soluções/sistemas.

Por que está em alta: corporações de todos os portes estão antenadas às inovações, principalmente no que se refere aos ganhos em eficiência operacional, ao aumento da qualidade dos serviços e da satisfação dos clientes internos e externos. Daí a demanda crescente por profissionais que atuem na boa governança entre infraestrutura e desenvolvimento de software.

A Robert Half, por meio do Guia Salarial 2021, mapeia as posições permanentes e por projetos em alta nas áreas de Finanças e Contabilidade, Engenharia, Jurídica, Mercado Financeiro, Seguros, Recursos Humanos, Vendas e Marketing e Tecnologia. Veja abaixo:

Finanças e Contabilidade

Tesouraria – coordenador e gerente

Contabilidade/Fiscal – analista e coordenador

Fusão e aquisição – gerente

Controles internos – coordenador

Planejamento financeiro/Controladoria – analista e coordenador

Engenharia

Comprador, engenheiro de aplicação, gerente de operações, gerente de supply chain e gerente de projetos.

Jurídico

Generalista de empresa, advogado contencioso cível, advogado trabalhista, advogado tributário e advogado contratual.

Vendas e Marketing

Head of growth, CX (customer experience), executivo de vendas, gerente comercial e gerente de e-commerce.

Mercado Financeiro

Fusões e aquisições – analistas e associados

Crédito/reestruturação de dívidas – analistas

Finanças – analistas, gerentes e CFO

Riscos/compliance/auditoria – gerentes e diretores e analista de back office.

Recursos Humanos

Remuneração e benefícios – de especialistas a gerentes seniores

Business Partner – de coordenadores a gerentes seniores

Departamento pessoal – gerentes de RH generalistas e Head de RH.

Seguros

Produtos – analistas e especialistas

Atuarial – analistas, especialistas e gerentes

Precificação – analistas e especialistas

Finanças – analistas, gerentes e CFO.

Tecnologia

Segurança da informação, Cientistas/engenheiros de dados, Desenvolvedores/engenheiros de software, Infraestrutura/Cloud e Business Intelligence.

Uma pesquisa encomendada pelo Indeed entrevistou mais de 250 empregadores no Brasil e mostrou quais setores estão mais otimistas para 2021:

Vendas, Mídia e Marketing

86% estão otimistas sobre o crescimento dos negócios e 77% sobre oportunidades de carreira

TI e Telecomunicações

74% estão otimistas tanto sobre o crescimento dos negócios quanto oportunidades de carreira

Varejo, Catering e Lazer

70% estão otimistas sobre o crescimento dos negócios e 59% sobre oportunidades de carreira

Recursos Humanos

77% estão otimistas tanto sobre crescimento quanto oportunidades de carreira

Educação

71% estão otimistas sobre o crescimento e 50% sobre oportunidades de carreira

Finanças

69% estão otimistas sobre o crescimento e 65% sobre oportunidades de carreira

A recrutadora Indeed destaca os cargos que mais demandaram profissionais em tecnologia em 2020 e que continuarão a crescer em 2021:

Programador de php e web

Desenvolvedor de back-end e full-stack

Desenvolvedor Java e Android

Engenheiro de software

Analista de QA

O Banco Nacional de Empregos (BNE) prevê aquecimento para os seguintes cargos:

Tecnologia (Desenvolvedor de Software, Analista de Sistemas)

Construção Civil (Pedreiro, Mestre de Obras, Ajudante de Pedreiro)

Logística (Auxiliar de Carga e Descarga, Operador de Empilhadeira e Entregador)

Saúde (todos os cargos)

De acordo com a Workana, plataforma que intermedia empresas e freelancers, o grande crescimento das contratações de profissionais das áreas de Marketing (especialmente Marketing Digital) e Programação, verificado em 2020, deve permanecer em 2021.

“Acreditamos que serão as áreas mais procuradas em 2021, principalmente por parte de grandes empresas, que estão contratando freelancers como um recurso para as suas equipes internas”, diz Daniel Schwebel, Country Manager da Workana no Brasil.

Veja abaixo as áreas que tiveram maior demanda de profissionais em 2020 que devem continuar a crescer em 2021:

Data Science

Data Analytics

Sales Executive

Translation

Landing Page

Content for social networks

Accounting

Images for social networks

Gather data

Project management

Proofreading

SEO

Subtitling

Retomada gradual

“Por mais que o mercado de trabalho tenha sido fortemente impactado a partir de abril, em maio e junho já foi possível observar uma retomada gradual que se manteve mês a mês. A expectativa é pela manutenção desse movimento em 2021, influenciado pela chegada da vacina e um maior controle da pandemia, além da consequente melhora dos indicadores econômicos”, afirma Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half.

Segundo ele, como um diferencial de carreira, os projetos temporários podem ser uma boa aposta. De acordo com pesquisas da Robert Half, 41% dos executivos brasileiros disseram que vão aumentar o quadro de trabalhadores por projetos nos próximos meses e 50% dos que contrataram por projetos durante a pandemia disseram que vão explorar mais esse modelo de contratação no futuro.

Fernando Morette, CEO da Catho, observa que o segundo semestre foi de recuperação em setores cruciais para a economia, como indústria e comércio, e esse processo de retomada deve continuar em 2021, ainda que gradualmente.

De acordo com ele, após redução nos anúncios de vagas no primeiro semestre de 2020, a plataforma da Catho segue em ritmo acelerado de recuperação e, em novembro, registrou aumento de 6% na abertura de vagas em comparação com o mesmo período do ano passado.

Para Felipe Calbucci, diretor de vendas do Indeed Brasil, o choque na economia trazido pela pandemia pegou diversas empresas de surpresa, que não estavam preparadas para as mudanças e acabaram reduzindo sua força de trabalho ou encerrando operações.

“Setores como o hoteleiro, turismo e alimentício foram impactados fortemente com a falta de público. Em contrapartida, diversos negócios viram uma brecha de oportunidade para deslanchar, como os aplicativos de delivery, ensino à distância e e-commerces. Há ainda muito o que acontecer para termos certeza do que nos espera em 2021 no mercado de trabalho”, observa.

Para José Tortato, gerente de negócios do BNE, o mercado de trabalho neste momento está estável, pois as empresas ainda estão inseguras com a situação e mantêm suas operações de maneira cautelosa.

“A perspectiva é que quando iniciar a vacinação em massa, as empresas fiquem mais otimistas e retomem a movimentação de vagas de forma geral gradativamente”, afirma.

Na plataforma Workana, o ano de 2020 foi bom ano para o mercado freelancer, já que muitos profissionais que se viram sem uma fonte de renda optaram por prestar serviços de forma autônoma. E as empresas encontraram nessa forma de contratação uma alternativa viável para suprir as demandas por profissionais.

Segundo Daniel Schwebel, country manager da plataforma no Brasil, houve aumento tanto a quantidade de freelancers registrados quanto no número de contratações pelas empresas. “Em 2021 continuará crescendo o número de contratações nesse modelo, muito puxado pela força que o trabalho remoto vem ganhando e a forma como as empresas começam a perceber a contratação por projeto”, aponta.

Dicas para conseguir emprego em 2021

Para José Tortato, gerente de negócios do BNE, é muito importante os candidatos estarem adaptados para participar de processos seletivos de forma remota, através de videoconferências. É manter os currículos cadastrados e atualizados em plataformas digitais especializadas.

Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half, recomenda seguir em busca das qualificações que façam sentido para a área de atuação. Estabelecer um plano de carreira é essencial, assim como analisar quais são as características, competências e certificações necessárias para que o profissional se mantenha constantemente atualizado no setor em que quer atuar.

“Além disso, as habilidades comportamentais ganharam ainda mais importância no último ano. Portanto, é válido dar uma atenção especial ao aprimoramento do pensamento estratégico, comunicação, agilidade, inovação e adaptabilidade.”

Para Fernando Morette, CEO da Catho, a busca por recolocação passa por insistir nas buscas por emprego e utilizar a web como ferramenta de procura.

Além disso, acompanhar as mudanças ocasionadas pela pandemia e as áreas que acabaram crescendo com essas mudanças abruptas no modo de viver é crucial. Por isso, o profissional em busca de recolocação deve ficar atento aos cargos que estejam em alta e que se enquadram em suas qualificações e habilidades.

O candidato deve ainda acompanhar as áreas em ascensão e conhecer mais sobre as empresas nesses setores.

“Outro ponto importante é utilizar desse tempo para se qualificar com cursos e conteúdos pertinentes. Isso contribui para que o currículo do candidato fique mais atrativo às empresas e ajuda o candidato a aumentar o leque de oportunidades.”

Felipe Calbucci, diretor de vendas do Indeed Brasil, indica pesquisar sobre o setor e carreira de recolocação, incluindo o que falam as pessoas que trabalham nas empresas. “É preciso estar sempre atualizado também, buscar novidades no seu setor, acompanhar tendências da área escolhida, fazer cursos de especialização”, diz.

Veja outras dicas de Calbucci:

Currículo e portfólio: precisam ser claros, objetivos e estar sempre atualizados.

Rede de contatos: use sua rede de contatos pessoais e profissionais e mostre que está disponível, marque um “café” virtual, você precisa ser visto para ser lembrado.

Prepare-se para entrevistas: pesquise sobre a empresa e treine quantas vezes for preciso, o nervosismo pode atrapalhar muito na hora e quanto mais preparado estiver, melhores serão suas chances.

Mantenha uma rotina: buscar recolocação profissional não é fácil, pode ser desanimador e frustrante. Manter uma rotina vai te ajudar a permanecer motivado e produtivo. Tenha hora para acordar, faça uma lista de tarefas, dedique tempo e atenção para enviar currículos, pesquise sobre empresas e cultive sua rede de contatos.

Daniel Schwebel, country manager da Workana no Brasil, aponta que, para se destacar no mercado de trabalho, é fundamental que os profissionais desenvolvam não só suas habilidades técnicas, mas também as pessoais - conhecidas como soft skills.

“Colaboradores que têm pensamento crítico e facilidade para solucionar problemas e se adaptar sairão na frente”, diz.

Pesquisa da Workana com as empresas sobre as habilidades necessárias no futuro mostrou que as mais citadas foram o pensamento ágil focado em soluções e adaptação às mudanças.

Assista a mais notícias de Economia:

Fonte: G1

Comunicar erro
Coronavirus 728x90
InfoJud 728x90