Agro Noticia 728x90

Problemas ambientais podem se 'agravar' se acordo Mercosul-UE não entrar em vigor, diz governo

Por Redação em 22/09/2020 às 16:53:07
Acordo foi fechado em 2019, mas precisa ser aprovado pelos parlamentos locais para vigorar. França tem se manifestado contra acordo após relatório sobre desmatamento no Brasil. O governo brasileiro divulgou uma nota nesta terça-feira (22) na qual afirmou que os problemas ambientais podem se "agravar" se o acordo entre o Mercosul e a União Europeia não entrar em vigor.

Na nota, elaborada pelos ministérios das Relações Exteriores e da Agricultura, o governo afirma ainda que a não entrada do acordo em vigor representa "desincentivo aos esforços" do Brasil para "fortalecer" a legislação ambiental.

O acordo de livre comércio entre Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) e União Europeia foi anunciado em 2019, depois de 20 anos de negociações. Os dois blocos juntos reúnem cerca de 750 milhões de consumidores.

Para entrar em vigor, o acordo precisa ser aprovado pelos parlamentos dos países envolvidos. No entanto, alguns alegam que a política ambiental do governo Bolsonaro é um empecilho para a ratificação. Na semana passada, a França reafirmou que se opõe à versão atual acordada.

"A não entrada em vigor do Acordo Mercosul-UE passaria mensagem negativa e estabeleceria claro desincentivo aos esforços do país para fortalecer ainda mais sua legislação ambiental. A não aprovação do Acordo teria, ademais, implicações sociais e econômicas negativas, que poderiam agravar ainda mais os problemas ambientais da região", declarou o governo brasileiro na nota desta terça-feira.

Especial G1: Saiba o que prevê o acordo comercial

No documento, o governo brasileiro refuta afirmações de que o acordo entre os blocos econômicos aumentaria a destruição da floresta amazônica e que a não aprovação teria implicações sociais e econômicas negativas.

França volta a se manifestar contra acordo UE-Mercosul

Fonte: G1

Coronavirus 728x90
InfoJud 728x90