Agro Noticia 728x90

Procuradoria v√™ suspeitas de que Witzel coordenou desvios na sa√ļde

Por Redação em 06/08/2020 às 21:42:48

Em manifesta√ß√£o encaminhada ao Superior Tribunal de Justi√ßa (STJ), a subprocuradora-geral da República, Lindôra Maria Araújo, afirmou ver indícios de participa√ß√£o do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), na cúpula da suposta organiza√ß√£o criminosa montada para desviar recursos públicos destinados ao combate à pandemia da Covid-19 no Estado. A suspeita que recai sobre o governador é o principal argumento usado por Lindôra para pedir exclusividade na condu√ß√£o das investiga√ß√Ķes de compras e contrata√ß√Ķes emergenciais firmadas pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio. "Essa orcrim, integrada por Edmar Santos e Gabriell Neves, possivelmente tem, na cúpula, o governador Wilson José Witzel", escreveu em um novo requerimento ao STJ na última ter√ßa, 4. Um pedido semelhante j√° havia sido encaminhado ao tribunal mês passado.

A subprocuradora insiste que os fatos investigados pelo Ministério Público do Rio na Opera√ß√£o Mercadores do Caos, que levou à pris√£o do ex-secret√°rio estadual de Saúde do Rio, Edmar Santos, j√° s√£o apurados pela PGR no inquérito 1338. Hoje, o STJ acolheu pedido da PGR e ordenou a libera√ß√£o do ex-secret√°rio. A Procuradoria pede, ainda, que os inquéritos e a√ß√Ķes penais relacionados à opera√ß√£o do Ministério Público fluminense sejam deslocados para o STJ e que seja declarada a incompetência da Justi√ßa Estadual para conduzir o caso. "É exatamente o mesmo grupo criminoso que est√° sob investiga√ß√£o. A diferen√ßa é que, limitado pelo foro constitucionalmente deferido aos Governadores, o MPRJ n√£o quebrou os sigilos, n√£o realizou busca e apreens√£o e n√£o teve acesso a elementos de prova que claramente colocam Wilson José Witzel no vértice da pir√Ęmide, atraindo, sem nenhuma dúvida, a competência do STJ", alega.

Lindôra escreveu ainda que os elementos j√° colhidos pela PGR apontam que agentes públicos fraudaram documentos, burlaram as regras de contrata√ß√£o, desviaram e lavaram dinheiro, "cometendo uma série de crimes em plena pandemia da Covid-19, enquanto sugeriam publicamente que agiam para combatê-la, com processos administrativos montados para escamotear a verdade, conferindo aparência de legalidade aos atos ilícitos".

No fim de maio, a Polícia Federal fez buscas e apreens√Ķes em endere√ßos ligados ao governo, incluindo a antiga casa da família, no Grajaú, e os Pal√°cios das Laranjeiras e da Guanabara, residência e sede oficial do Executivo fluminense, no √Ęmbito do inquérito conduzido pela PGR. Witzel, que é alvo de processo de impeachment na Assembleia Legislativa do Rio na esteira das opera√ß√Ķes que miram desvios da saúde no Estado, nega irregularidades. De acordo com a defesa do governador, n√£o h√° "elemento mínimo" que o vincule a qualquer tipo de irregularidade em contrata√ß√Ķes relacionadas ao combate à pandemia.

* Com informa√ß√Ķes do Estad√£o Conteúdo

Fonte: JP

Coronavirus 728x90
InfoJud 728x90