MT realiza o maior pacote de infraestrutura do Brasil

Netanyahu diz que ataque de Israel que matou 45 pessoas em campo de refugiados foi um "acidente tr√°gico"

Por Redação em 27/05/2024 às 15:56:04

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou nesta segunda-feira (27) que o bombardeio em um campo de refugiados em Rafah, no sul de Gaza, foi um "acidente tr√°gico". O ataque, realizado no contexto da ofensiva de Israel contra o Hamas, resultou na morte de pelo menos 45 pessoas, segundo autoridades de Gaza. Netanyahu explicou ao Parlamento que Israel se esforça para evitar v√≠timas civis e que uma investigação est√° em andamento para apurar o que aconteceu. O Exército israelense declarou que o alvo do ataque era uma instalação do Hamas e que dois altos funcion√°rios do grupo islamista foram mortos. O bombardeio gerou uma onda de condenações internacionais. A ONU pediu uma investigação completa e transparente. O presidente franc√™s, Emmanuel Macron, apelou pelo respeito ao direito internacional e por um cessar-fogo imediato, enfatizando a necessidade de proteger civis em Gaza. Josep Borrell, chefe da diplomacia da União Europeia, expressou "horror" com as not√≠cias de dezenas de mortes, incluindo crianças.

O incidente ocorreu horas após o Hamas lançar foguetes contra Tel Aviv e outras √°reas de Israel, embora as defesas aéreas israelenses tenham interceptado a maioria dos projéteis sem causar v√≠timas. Em Gaza, a ag√™ncia de defesa civil relatou que o bombardeio causou um inc√™ndio devastador no campo de deslocados, resultando em corpos carbonizados e ferimentos graves em mulheres, crianças e idosos. Imagens divulgadas pelo Crescente Vermelho palestino mostraram equipes médicas evacuando feridos, enquanto o Comit√™ Internacional da Cruz Vermelha relatou um fluxo de feridos buscando cuidados em seus hospitais de campanha. O ataque também levou a condenações de v√°rios pa√≠ses da região. Egito, Jordânia, Ar√°bia Saudita e Turquia condenaram o ataque e acusaram Israel de crimes de guerra. O Catar alertou que o bombardeio poderia dificultar negociações para uma trégua e a libertação de reféns.

A guerra na Faixa de Gaza teve in√≠cio em 7 de outubro, quando terroristas do Hamas mataram mais de 1.170 pessoas no sul de Israel e sequestraram 252. Em resposta, o exército israelense lançou uma ofensiva que, segundo o Ministério da Sa√ļde de Gaza, controlado pelo Hamas, j√° deixou mais de 36.050 mortos, a maioria mulheres e crianças. Neste contexto de viol√™ncia crescente, Espanha, Irlanda e Noruega planejam reconhecer formalmente a Palestina como Estado, juntando-se a mais de 140 membros da ONU que j√° tomaram essa decisão.


Fonte: JP

Comunicar erro
Radio Jornal de Caceres
InfoJud 728x90
Combate a dengue 2023
Garotas de programa Goiania