Calendario IPVA 2024

Israel faz ataque aéreo no sul da Faixa de Gaza e deixa ao menos 35 mortos

Por Redação em 26/05/2024 às 21:51:45

Um ataque aéreo israelense neste domingo (26) em um centro de deslocados (local de ajuda humanit√°ria) próximo à cidade de Rafah, no sul de Gaza, deixou pelo menos 35 mortos e dezenas de feridos. O Ministério de Sa√ļde de Gaza, controlado pelo Hamas, classificou o ataque como um "massacre horroroso" e informou que a maioria das v√≠timas são crianças e mulheres, além de cerca de 50 feridos. O exército israelense confirmou que a ação visava dois altos dirigentes do Hamas, Yassin Rabia e Khaled Nagar, em uma instalação em Rafah Segundo o pa√≠s judeu, eles foram abatidos. Ambos estariam envolvidos em atividades do Hamas na Cisjordânia, incluindo o planejamento de ataques e a administração de recursos.

O Hamas acusou Israel de "atacar deliberadamente" o centro de deslocados e convocou os palestinos a protestarem contra o que chamou de "massacre sionista". O ataque ocorreu após Israel ter sido alvo de pelo menos oito foguetes disparados de Rafah, que atingiram √°reas como Tel Aviv. Desde o in√≠cio do conflito em 7 de outubro, após um ataque de comandos islamistas que matou mais de 1.170 pessoas no sul de Israel, incluindo civis, o Estado judeu lançou uma ofensiva contra Gaza, prometendo "aniquilar" o Hamas. Segundo o Ministério de Sa√ļde de Gaza, o conflito j√° resultou na morte de 35.984 palestinos, principalmente mulheres e crianças.

Enquanto isso, negociações indiretas mediadas por Estados Unidos, Egito e Catar estão estagnadas desde o in√≠cio de maio, após o in√≠cio das operações terrestres israelenses em Rafah. O presidente dos EUA, Joe Biden, expressou compromisso com uma diplomacia emergencial para alcançar um cessar-fogo e a libertação de reféns. Espanha, Irlanda e Noruega anunciaram que reconhecerão a Palestina como Estado nesta terça-feira (26). A União Europeia defende uma Autoridade Nacional Palestina forte para promover a paz — o Hamas, no poder em Gaza, é considerado uma organização terrorista por Israel, Estados Unidos e a UE. A situação humanit√°ria no enclave palestino é grave, com cerca de 800 mil pessoas deslocadas e enfrentando risco de fome e colapso dos serviços de sa√ļde devido ao cerco israelense. A ONU alerta para uma crise humanit√°ria catastrófica na região.

Fonte: JP

Comunicar erro
Radio Jornal de Caceres
InfoJud 728x90
Combate a dengue 2023
Garotas de programa Goiania