"Entretenimento brasileiro precisa de mais ousadia", diz Antônio Oliva, herdeiro do camarote N1 da Sapucaí

Por Redação em 13/02/2024 às 15:06:06
Foto: Reprodução internet

Foto: Reprodução internet

Os últimos quatro dias dos brasileiros foram movidos por uma única coisa: Carnaval, a maior festa brasileira e que atraí milhões de pessoas para o país para viver esta folia. Um dos principais locais escolhidos para aproveitar os dias é a cidade do Rio de Janeiro, e nele, o Sambódromo da Marquês de Sapucaí, que completa 40 anos em 2024. O entretenimento brasileiro tem evoluídos nos últimos anos, com artistas nacionais ganhando destaque no cenário internacional e festas regionais, como o Festival de Parintins, passando a ter mais notoriedade. Porém, ainda é preciso mais para fazer com que o entretenimento brasileiro alcance voos mais altos, afirma o empresário Antônio Oliva. "Está muito fácil trabalhar com entretenimento, mas falta um pouco mais de ousadia. É um mercado difícil, sinto que as pessoas precisam sair da caixinha, fazer experiências completamente novas, algo que nunca foi visto antes", afirma, em entrevista ao site da Jovem Pan, o empresário de 26 anos que acabou de assumir um dos camarotes mais badalados da Sapucaí, o Camarote N1.

Antônio Oliva é filho do "Rei da Noite", João Victor Oliva, com a ex-jogadora de basquete Hortência, e já foi citado na lista como uma das 30 pessoas mais influentes pelas Forbes Under 30. Ao se referir a essa ousadia necessária, ele cita algo que seu pai fez no passado: uma festa em um avião para ver um cometa raro. "São coisas que ninguém pensou antes e que vão ser lembradas. Falta ter perspectiva assim, fazer algo muito único em todos os eventos", continua. O empresário vê Carnaval e as demais festa tradicionais brasileiras como um momento de união. "Todo mundo esquece os problemas, as brigas. Nesses últimos anos, tivemos vários acontecimentos que dividiu a galera. E o Carnaval e São João são momentos em que a gente esquece de tudo o que está na mesa". Em relação ao interesse internacional nas festas brasileiras e o potencial de que outras se tornem tão grandes quando o Carnaval, Antônio vê com bom olhos e positivismo o possível aumento de alcance delas. "São épocas muito culturais e acho que todo mundo aqui do Brasil, todo mundo de fora gosta de conhecer culturas novas. Então, o Carnaval e o São João para mim são os dois momentos mais culturais, então tenho certeza que lá fora a galera vê isso", fala.

Sobre a possibilidade de expandir o Camarote N1 para outros eventos, Antônio diz que isso já acontece. No ano passado, eles realizaram uma parceria com a agência Vybbe, empresa do cantor Xand Avião, que gerencia artistas nordestinos. "O que a gente procura é fazes essas festa em momento que o Brasil inteiro está curtindo junto. A gente pensou, por enquanto, fazer o São João esse ano e o Réveillon, porque somos detalhistas em todos os nossos projetos, então pretendemos sempre fazer uma experiência número um", fala o jovem empresário que tem como interesse fazer com que o N1 se torne uma marca e seja lembrada fora do período de folia. "Por isso fizemos o Torcida N1 durante a Copa do Mundo, e agora estamos fazendo um estudo para fazer uma fusão para fazer um São João, uma festa Nordeste, criar esse cronograma pra estar na cabeça das pessoas", explica.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por VYBBE (@vybbe)

Um dos passos em relação à criação de uma marca foi a produção de produtos licenciados próprio do camarote, como FOM, óculos de sol, copos que estavam disponível para o público durante os dois dias de desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro. Para Antônio, que é o nome por trás do TETTO Rooftop Lounge, um dos lugares mais disputados de São Paulo, seu diferencial é que o aprendeu na incidência da produção e execução do entretenimento. "Venho com uma perspectiva mais jovem com a bagagem da incidência da execução", fala o empresário que exalta os aprendizados que teve com o pai e a boa relação com seus sócios, o que faz com que os seus empreendimentos estejam em constante crescimento. Apesar do fim dos desfiles do Carnaval de 2024, quem ainda tiver interesse em aproveita a experiência do Camarote N1, que há 34 anos agita a Sapucaí e neste ano veio com um espaço 40% maior, ainda é possível garantir o ingresso para os desfiles das campeãs.

Fonte: JP

Comunicar erro
Radio Jornal de Caceres
InfoJud 728x90
Combate a dengue 2023