conecte-se conosco


Saúde

Sua gengiva sangra quando escova os dentes ou passa o fio dental?

Publicado

A gengivite é uma inflamação na gengiva causada por bactérias. Sua causa mais comum é a má escovação, pois favorece o acúmulo de placas bacterianas e restos de alimentos no espaço que fica entre o dente e a gengiva. Com isso a sua gengiva sangra.


Sua gengiva sangra? Saiba qual o tratamento ideal
iStock

Sua gengiva sangra? Saiba qual o tratamento ideal

Após uma noite mal dormida, nós acordamos cansados e relaxamos na hora de escovar os dentes. Isso pode ser o início da gengivite. Uma vez formada a placa bacteriana, fica cada vez mais difícil de remove-la, sendo necessária a ajuda do dentista para reverter o quadro, onde sua gengiva sangra .

O sangramento acontece durante a escovação e ao usar o fio dental . Além de sangrar, a gengiva nesses casos fica inchada, dolorida , bem vermelha e causando o mal hálito também.

As placas bacterianas tem a característica de aspereza nos dentes, com o tempo elas se calcificam formando o tártaro ou cálculos dentais, causando as retrações na gengiva que começam a se afastar dos dentes e avançar para a periodontite, prejudicando mais ainda a saúde bucal e sistêmica.

Leia mais:  Tirar meleca do nariz é uma ameaça à saúde e pode causar pneumonia, diz pesquisa

Veja o que colabora para o aparecimento da gengivite:

* Genética; existem pessoas que já nasceram com predisposição genética para adquirir problemas na saúde das gengivas.

* A deficiência de vitaminas

* Má higiene bucal

* Medicamentos podem ser a causa também desse sangramento

* Diabetes

* Fumantes

* Gravidez , por ter uma alteração hormonal

* Deficiencias nutricionais

A avaliação profissional nesses casos é o ideal para um diagnóstico e tratamento adequado. Na maioria dos casos, são feitas raspagens locais, limpeza e profilaxia dental. Pode-se ainda, incluir o uso de anti-inflamatórios e antibióticos e até um controle da diabetes.

Doutor Bruno Puglisi ainda indica o uso de pastas, escovas e bochechos específicos para esses casos e diz que se tratada, a gengivite é um quadro reversível. Por isso, a importância de procurar um dentista quando a gengiva sangra é muito grande.

Visualizar esta foto no Instagram.

Chega de moldes !! Agora com scanner 3 shape para escaneamento dos dentes

Uma publicação compartilhada por Bruno Puglisi (@brunopuglisi1) em 4 de Nov, 2016 às 11:04 PDT

publicidade

Saúde

Ministro da Saúde vai propor a Bolsonaro que alunos do Fies substituam cubanos

Publicado

por


Ministro deve sugerir a Bolsonaro que alunos do Fies ocupem as vagas deixadas pelos profissionais do Mais Médicos
Karina Zambrana/Ministério da Saúde – 24.8.13

Ministro deve sugerir a Bolsonaro que alunos do Fies ocupem as vagas deixadas pelos profissionais do Mais Médicos

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse nesta sexta-feira (16) que irá propor ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que estudantes beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) substituam os médicos cubanos nos cargos ocupados pelo programa Mais Médicos. A proposta deve já ser entregue à equipe de transição, antes do futuro presidente assumir o poder. 

Leia também: Mais Médicos terá seleção para repor cubanos ainda neste mês, anuncia governo

Tal ideia já estava sendo estudada nos últimos meses, mas ganhou força após o governo de Cuba anunciar a sua saída do programa Mais Médicos no País. Com a retirada dos cubanos, a proposta de Occhi é propor que alunos recém-formados em medicina, em faculdades particulares, e que sejam beneficiados pelo Fies, possam ocupar as vagas. 

“Chamar os estudantes formados pelo Fies é uma alternativa que consideramos. Devemos ter uma reunião na próxima semana com a equipe de transição. Essa é uma das propostas que vamos apresentar”, disse Occhi. No entanto, o ministro não explicou como seria feita a chamada específica de médicos formados pelo Fies. 

Leia mais:  Campanha pede empatia com pessoas que sofrem de depressão

De acordo com o ministério, os estudantes que ocuparem as vagas poderiam tirar parte da dívida do Fies , mas a proposta só iria valer caso as vagas abertas com a saída dos médicos cubanos não sejam preenchidas. “As ações poderão ser adotadas conforme necessidade e entendimentos com a equipe de transição do novo governo”, informou a pasta, em nota. 

Leia também: Saída de profissionais cubanos do Mais Médicos afetará 29 milhões de brasileiros

A decisão de Cuba de abandonar a parceria com o Brasil se deu após críticas de Bolsonaro, que pretendia cortar recursos ao governo cubano – que pega parte do salário dos médicos cubanos – e exigir uma “comprovação” da capacidade dos profissionais. O governo cubano recusou a proposta de Bolsonaro e resolveu que todos os 8.332 médicos cubanos, que hoje atuam no País, deixarão o Brasil. 

Leia também: Investimento em saúde no Brasil é de R$ 3,48 ao dia por habitante

Os médicos cubanos deixarão o território brasileiro dentro de 40 dias e o governo federal anunciou, hoje, que brasileiros começarão a assumir as vagas deixadas pelos profissionais estrangeiros do programa Mais Médicos ainda neste mês. O edital para seleção deve ser divulgado já no início da próxima semana.

Leia mais:  Mais de 2,5 mil casos de sarampo foram confirmados no Brasil, aponta boletim

Continue lendo

Saúde

Médicos cubanos deixarão Brasil em 40 dias, diz embaixada; governo nega prazo

Publicado

por


Profissionais de Cuba fazem parte do Mais Médicos desde o início do programa, em 2013
Karina Zambrana/Ministério da Saúde – 24.8.13

Profissionais de Cuba fazem parte do Mais Médicos desde o início do programa, em 2013

A Embaixada de Cuba no Brasil informou nesta sexta-feira (16) que todos os 8.332 médicos cubanos que atualmente integram o programa Mais Médicos deixarão o País dentro de 40 dias. A medida atende a determinação do regime socialista da ilha, que decidiu nesta semana  suspender a parceria com o governo brasileiro devido ao posicionamento do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

Apesar da programação informada pela Embaixada cubana e reportada pela TV Globo , o Ministério da Saúde negou que já exista um cronograma definido para a partida dos médicos cubanos no País. Representantes da pasta se reúnem ainda hoje com a Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), que faz parte da engrenagem do Mais Médicos, para definir detalhes para saída dos estrangeiros e a reposição por profissionais brasileiros.

governo federal anunciou hoje que brasileiros começarão a assumir as vagas deixadas pelos profissionais estrangeiros ainda neste mês. O edital para seleção deve ser divulgado já no início da próxima semana.

Leia mais:  Salmonella apresenta resistência a diferentes antibióticos, mostra pesquisa

O Ministério da Saúde avalia a possibilidade de convocar profissionais recém-formados com bolsa do Fies (Programa de Financiamento Estudantil) para aumentar o número de brasileiros no Mais Médicos . O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse nesta sexta-feira que levará essa proposta para avaliação de Bolsonaro.

Leia também: Bolsonaro diz que é ‘desumano’ dar aos pobres o atendimento de médicos cubanos

O presidente cubano,  Miguel Díaz-Canel Bermúdez , comentou hoje a retirada do acordo com o governo brasileiro. “Nossos médicos retornam dignamente a Cuba. Eles são fiéis ao legado do comandante [Fidel Castro]. Os princípios não se negociam, se defendem”, afirmou Díaz-Canel em publicação que trouxe ainda a hashtag ‘fazemos Cuba porque somos Cuba’.

A decisão do regime socialista cubano de abandonar a parceria com o Brasil se deu após críticas do futuro presidente. Bolsonaro queria cortar o repasse de recursos ao governo cubano (que abocanha parte do salário dos médicos) e exigir “comprovação” da capacidade dos médicos formados na ilha. 

Leia também: Saída de profissionais cubanos do Mais Médicos afetará 29 milhões de brasileiros

Os profissionais cubanos que atuam no Brasil são dispensados de realizar o Revalida, o exame nacional para médicos formados no exterior serem habilitados a atuar no País. O termo está previsto desde o lançamento do Mais Médicos, pelo governo Dilma Rousseff (PT), em 2013, e foi julgado, no ano passado, constitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia mais:  Ministro da Saúde vai propor a Bolsonaro que alunos do Fies substituam cubanos

Temendo “iminentes e irreparáveis prejuízos à saúde da população”, prefeitos e secretários municipais de Saúde de todo o Brasil assinaram carta conjunta para cobrar a “revisão do posicionamento” de Jair Bolsonaro a respeito da participação dos médicos cubanos no programa. Segundo as administrações municipais, mais de 29 milhões de brasileiros podem ficar sem acesso a atendimento de Saúde por conta da saída dos profissionais de Cuba.

Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana