conecte-se conosco


Esportes

Pep Guardiola revela que ‘nunca na vida’ pediu a contratação de Lionel Messi

Publicado

Na última semana a imprensa espanhola informou que o Manchester City tentou a contratação de Lionel Messi durante a crise política na Catalunha, em 2017. Nesta sexta-feira, no entanto, o técnico Pep Guardiola afirmou que em nenhum momento pediu que seus clubes iniciassem as negociações para ter o argentino.

Leia também: Bendtner, atacante ex-Arsenal, é condenado a 50 dias de prisão na Dinamarca


O técnico Pep Guardiola revelou que
Divulgação

O técnico Pep Guardiola revelou que “nunca na vida” pediu a contratação de Messi após sair do Barcelona

“Eu já falei isso muitas vezes e vou falar de novo. Quando eu saí do Barcelona e fui para o Bayern de Munique e para o Manchester City, nunca na minha vida eu pedi que contratassem Messi”, afirmou o técnico Pep Guardiola em entrevista coletiva.

“Nunca fui à diretoria dos dois clubes e pedi que o trouxessem. Eu sei o quão importante ele é para o Barcelona. Eu nunca dei o primeiro passo e disse que o queria comigo. Nunca. Eu disse mil vezes e digo mais uma: eu quero que ele fique no Barcelona”, acrescentou o treinador.

Leia mais:  Willian Bigode é o jogador da Série A que mais atuou em 2018: “Significativo”

De acordo com uma reportagem do jornal El País , o City pagaria 755 milhões de euros (R$ 3,2 bilhões), sendo que 250 milhões de euros (R$ 1 bilhão) iria para o Barcelona, já que este é o valor da multa rescisória do craque.

Leia também: Volante do PSG, Marco Verratti é preso em Paris por dirigir embriagado

O mesmo montante seria para o jogador, dividido entre cinco anos de contrato e outros 50 milhões de euros iriam para o pai de Messi, Jorge, caso ele ajudasse a convencer o filho a trocar de equipe pela primeira vez.

Já o jornal El Mundo , que teve acesso aos contratos que mostravam os valores oferecidos, disse que isso fez o Barcelona renovar o contrato de Lionel e ainda aumentar o salário dele, além de subir a multa para 750 milhões de euros.

Leia também: Pep Guardiola volta a elogiar Lionel Messi: “Ele é um animal competitivo”

Recentemente, o técnico Pep Guardiola elogiou Lionel Messi em evento com outros treinadores. “Ele é uma pessoa introvertida. É um animal competitivo, feroz. Que ajuda aos que estão por perto a ser melhores. Odeia perder, joga como quando era pequeno e nos grandes eventos, se a equipe o acompanha, marca a diferença”, disse na ocasião.

Leia mais:  Pode ficar na minha frente o tempo todo, mas não tente calar minha voz

publicidade

Esportes

Juary como você jamais viu. Futebol diferente com emoção, risos e história

Publicado

por

Confesso para vocês que o bate papo com o ex-atacante Juary era para falar de curiosidades da bola, do que ele passou na carreira, da 1ª geração de Meninos da Vila . Mas assim que começamos a gravar o 4º episódio do Resenha Futebol Clube o significado de ” futebol diferente ” ganhou a verdadeira definição.

Leia mais: Ex-atacante Rodrigão relembra sua carreira

Juary é uma pessoa simples, tranquila, que segue carreira fora das quatro linhas como técnico (trabalhou na Itália ) e agora encara um desafio de introduzir os fundamentos do futebol pelo governo da China. Mas o olhar de Juary neste bate papo estava com um brilho de quem disputaria um clássico daqueles! E foi aí que o ” futebol diferente ” surgiu nessa conversa ( assista no vídeo acima ).

A “entrevista” foi olho no olho, sem frescuras, sem vaidades. Juary contou como chegou ao Santos e foi chocante, difícil de imaginar.  O vídeo acima revela o que o atacante sofreu para tentar jogar futebol na região que nasceu, o Rio de Janeiro, no Fluminense.

Leia mais:  Willian Bigode é o jogador da Série A que mais atuou em 2018: “Significativo”

Leia mais: “Lazaroni ainda está chateado com comentários sobre a Copa de 90”

Juary confessa que recebeu muitas lições de vida na tragetória como atleta profissional. E cada lição deixava os olhos do ex-jogador marejados, como se voltasse no tempo e vivesse tudo aquilo novamente (confira no vídeo acima) .

Até o Rei Pelé participou do amadurecimento de Juary quando ainda estava no Santos . E não foi dando toques de como “bater na bola” ou “como se posicionar”, Foi da maneira mais inusitada e dura possível. Sim, o Rei Pelé já havia parado de jogar futebol!

Leia mais: “Quando Pelé estava bravo tínhamos a certeza de gols”

Juary é ídolo no Porto de Portugal. Lá conquistou os maiores títulos da carreira, fez o gol mais importante e como prêmio também foi ídolo na Itália onde jogou também pela Inter de Milão. Da Europa ele foi surpreendido por Neymar , em 2012, quando o craque do PSG, na época atuando pelo Santos, o imitou comemorando um gol rodando na bandeirinha de escanteio.

Leia mais:  Presidente do Real decide demitir Lopetegui, mas é impedido por diretor do clube

Mas não foi apenas de emoção que este episódio do Resenha Futebol Clube com Juary se desenrolou. Se futebol também é diversão vocês não podem perder e dúvido não rirem das mais incríveis histórias de bastidores. Sinceramente, era para ser apenas uma conversa de 30 minutos mas a difeinição de ” futebol diferente ” foi tão forte que esta é apenas a primeira parte. Sim! Serão dois episódios dedicados a este história contada por Juary que merece um livro e até um show em qualquer palco do Brasil. Assista e depois me fale se não merece!

Continue lendo

Esportes

Palmeiras vence, convence e fica muito perto do título do Campeonato Brasileiro

Publicado

por


Felipe Melo marca o gol do Palmeiras, cada vez mais perto de ser campeão brasileiro
Reprodução

Felipe Melo marca o gol do Palmeiras, cada vez mais perto de ser campeão brasileiro

É cair na mesmice dizer que o Palmeiras está muito perto do título. É impressionante como o elenco conseguiu amadurecer com Luiz Felipe Scolari. Se era cru e sem sal com o badalado Roger Machado, o time é sangue e alma com a nova comissão técnica. Construiu vitória maiúscula diante do fraco – fraco, sim – Fluminense no Allianz Parque. O próximo adversário não deve assustar. Provavelmente provocará mais risos do que dores de cabeça.

Leia também: Tocida palmeirense aparece no top 10 do mundo

O Palmeiras pega o Paraná, no domingo, fora de casa. Isso não quer dizer muito. Se fosse em Marte, em Júpiter ou na Lua – ainda assim – o alviverde seria favorito. Em Curitiba ou no Allianz Parque – tanto faz – não acredito em surpresa. Dizem que não tem mais bobo no futebol, mas o jogo do lanterna da competição não agrada ninguém. Muito menos seus torcedores. É uma tragédia anunciada.

Leia mais:  Bahia homenageia mês da Consciência Negra em camisas contra Chapecoense

Paraná, América Mineiro, Vasco e Vitória são os últimos desafios do provável campeão brasileiro . Um elenco cheio de boas peças que se tornou dois grandes times durante boa parte do Brasileirão. Foi bem na Libertadores e na Copa do Brasil, ainda que queiram desvalorizar, pesar mais as frustrações do que os gritos de gol. Não é um fiasco, torcedor palmeirense. Levantar taça jamais será fiasco. Principalmente se for um campeonato tão importante. Falar que é um fiasco é não suportar a dor de cotovelo.

Leia também: Tenista aponta favorecimento a Federer em Grand Slam

Os jogos do Internacional e do Flamengo podem colocar o Palmeiras em melhores condições. Não acredito, no entanto, que o Flamengo será derrotado pelo Santos, no Maracanã. O Santos que protagonizou jogo assustador na segunda. E nem entendo que o América Mineiro tenha capacidade para surpreender o Internacional, em Porto Alegre. Haverá respiro, acredito. Último e ilusório respiro.

Leia também: Corinthians perde e fica perto da degola

O Corinthians impressiona: joga melhor com dez jogadores do que com onze jogadores. Jair Ventura faz o segundo péssimo trabalho seguido. Não foi nada bem no Santos – que tinha muito mais a oferecer do que foi apresentado com Jair – e agora repete o fiasco no Timão. Vão dizer: ah, o elenco corintiano é ruim. É verdade. Mas não é ruim nível rebaixamento, nível vexame, nível o que se viu no primeiro tempo. A cena mudou quando Douglas foi expulso. Curiosamente a equipe pressionou mais e obrigou grandes defesas de Fábio na etapa final. Não adiantou. A luta contra a queda continua. A dolorosa briga contra a queda. Até quando, Jair? Digo: até quando o Jair?

Leia mais:  Lesão de Nadal torna Novak Djokovic o novo número 1 do tênis mundial

Campeão. A palavra é curta. E o caminho também, Palmeiras . Fiasco é não acreditar na sua história. E não reconhecer sua grandeza. Sua campanha imponente. 

Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana