conecte-se conosco


Nacional

Dr. Rey se oferece para ser ministro da Saúde de Bolsonaro e defende fim do SUS

Publicado


Dr. Rey se oferece para ser ministro da Saúde de Bolsonaro, a partir de 2019; conversa, porém, pode não ter acontecido
Reprodução/Twitter

Dr. Rey se oferece para ser ministro da Saúde de Bolsonaro, a partir de 2019; conversa, porém, pode não ter acontecido

Conhecido como Dr. Rey, o cirurgião plástico Robert Rey, apareceu em frente à porta do condomínio do presidente eleito, Jair Bolsonaro, na manhã desta sexta-feira (9), na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Em suas redes sociais e aos jornalistas que estavam no local, o cirurgião afirmou que tinha o objetivo de se candidatar ao cargo de ministro da Saúde. 

Leia também: Bolsonaro confirma que pasta do Trabalho será incorporada a outro ministério

“Talvez me cogitem para ser ministro da Saúde. Nós estávamos no mesmo partido, o PSC, somos amigos”, afirmou Dr. Rey , garantindo que tinha um horário marcado com o presidente eleito nesta sexta. “Quero trazer a saúde dos EUA para o Brasil”, afirmou. “Pode ser que eu leve uma porta na cara, pode ser que ele ria da minha cara”, ponderou.

Quando indagado por jornalistas a respeito das suas ideias para a saúde brasileira, Rey afirmou que planeja, “eventualmente”, dar fim ao Sistema Único de Saúde (SUS). 

Leia mais:  Ibaneis (MDB) é eleito novo governador do DF, com 70% dos votos

“Eu quero que todo o brasileiro tenha um seguro privado. Vamos dar agilidade ao atendimento brasileiro, porque o que acontece no SUS é um crime. Eventualmente, eu quero fechar o sistema público do SUS . Todo o brasileiro terá o sistema privado”, afirmou. “Não é loucura, gente, é assim nos EUA. Eu trago o sistema de primeiro mundo. Porque esperar dois anos por um mamograma do seio é crime contra a humanidade”, criticou. 

Leia também: General Heleno confirma que assumirá o Gabinete de Segurança Institucional

Apesar dele declarar que tinha marcado o seu encontro com Bolsonaro , o nome do cirurgião não apareceu na agenda oficial do presidente eleito que, nesta manhã, recebeu o embaixador da Argentina e da Alemanha para reuniões. 

Além disso, ao jornal
O Globo , um funcionário da portaria afirmou que o cirurgião até foi autorizado a entrar com o objetivo de fazer a visita, mas não pôde ser recebido. 

Leia também: Bolsonaro vai oferecer superministério da Justiça a Sergio Moro

Por sua vez,  Dr. Rey  saiu do condomínio apressado, cerca de meia hora depois, afirmando que teve uma conversa positiva com Bolsonaro. O presidente não comentou o encontro em suas redes sociais. 

publicidade

Nacional

Pista da Marginal Pinheiros tomba, é interditada e causa congestionamento em SP

Publicado

por


Pista da Marginal Pinheiros cedeu na madrugada desta quinta-feira (15), em São Paulo
Reprodução/TV Globo

Pista da Marginal Pinheiros cedeu na madrugada desta quinta-feira (15), em São Paulo

Um viaduto da pista expressa da Marginal Pinheiros, uma das principais vias de São Paulo, cedeu cerca de dois metros na madrugada desta quinta-feira (15), nas proximidades do parque Vila Lobos. O trecho foi interditado e não há previsão para ser liberado.

Leia também: Feriado estendido tem aeroportos mais tranquilos e filas no sistema rodoviário

O incidente na Marginal Pinheiros aconteceu por volta das 3h30, a poucos metros da Ponte do Jaguaré, na rota de acesso à rodovia Castello Branco. Devido ao horário, poucos carros trafegavam pela região no momento em que o viaduto cedeu. Cinco carros ficaram danificados e, de acordo com a Prefeitura, ninguém se feriu.

A administração municipal assegurou que serão iniciados os trabalhos de escoramento do viaduto de imediato, mas não há previsão para reabrir a pista. Segundo a Secretaria de Transportes de São Paulo, o viaduto não apresentava problemas estruturais. 

A interdição da  pista expressa da Marginal levou o trânsito a ser desviado para a pista local, provocando congestionamento logo cedo, mesmo em meio ao feriado prolongado da Proclamação da República.

Leia mais:  30 anos de atraso social e econômico, o Brasil agradece

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por volta das 9h desta manhã havia mais de dois quilômetros de lentidão na pista local, sentido Castello Branco, no trecho entre a ponte Nova Fepasa e a ponte do Jaguaré . Na reabertura da pista expressa da Marginal, há mais três quilômetros de filas que se estendem desde o local onde o viaduto cedeu até a ponte Eusébio Matoso.

O viaduto que cedeu passa sobre trecho da linha 9-Esmeralda da CPTM, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, que informou que os serviços não foram afetados.

Leia também: Acelerador de partículas mais potente do mundo é inaugurado em Campinas

Confira abaixo nota da Prefeitura sobre a pista da Marginal Pinheiros:


Motoristas fotografaram viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros logo após incidente
Reprodução/Twitter

Motoristas fotografaram viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros logo após incidente

A Prefeitura informa que a Defesa Civil está no local avaliando a condição da estrutura do viaduto que cedeu na madrugada desta sexta-feira (15). Equipes de engenharia da secretaria de Obras e da Subprefeitura Pinheiros, além da CPTM, foram acionadas e os trabalhos são coordenados pelo Centro de Controle Integrado (CCOI). Não há registro de vítimas.

O viaduto que passa sobre a linha férrea da CPTM (Linha 9 – Esmeralda) no trecho oeste da Marginal Pinheiros , próximo ao parque Vila Lobos, cedeu cerca de dois metros.

Leia também: Vídeo assustador mostra desespero de motorista para fugir de incêndio nos EUA

Leia mais:  Ibaneis (MDB) é eleito novo governador do DF, com 70% dos votos

Continue lendo

Nacional

Lula é irônico e juíza rebate: “Se começar nesse tom comigo, teremos problemas”

Publicado

por


Primeira audiência de Lula com a juíza Gabriela Hardt foi marcada por desentendimentos
Reprodução/JFPR

Primeira audiência de Lula com a juíza Gabriela Hardt foi marcada por desentendimentos

Substituta do futuro ministro da Justiça Sérgio Moro nos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, a juíza Gabriela Hardt teve, na tarde desta quarta-feira (14) sua primeira audiência com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O interrogatório, que tratou sobre as  reformas do sítio em Atibaia  foi marcado pela resposta firme da magistrada quando as acusações foram ironizadas pelo petista.

Leia também: Eunício ‘faz as pazes’ e pedirá urgência em projeto que agrada Paulo Guedes

Ao ser questionado se sabia do que estava sendo acusado, o ex-presidente foi sarcástico e disse que “não sabia”. Após as explicações da juíza sobre o processo ser sobre as reformas feitas no sítio, o ex-presidente questionou. “Mas eu sou dono do sítio ou não?”.

“Isso é o senhor que tem que responder, não eu, doutor, e eu não estou sendo interrogada neste momento. Senhor ex-presidente, isso aqui é um interrogatório e se o senhor começar nesse tom comigo nós teremos problemas”, responde a magistrada, que ainda completou. “Vamos começar de novo. Eu sou a juíza do caso e vou fazer as perguntas que preciso para o senhor possa ser sentenciado.”

Leia mais:  Ministro da Educação defende qualidade das provas do Enem após críticas

Mais tarde, a magistrada voltou a chamar a atenção do ex-presidente, que acusou Sérgio Moro de ser amigo de Alberto Youssef. “Possivelmente, por conta de que o delator principal é o Youssef, que era amigo do Moro desde o caso do Banestado (Banco do Estado do Paraná). É isso, lamentavelmente é isso”, disse Lula.

“Moro não é amigo do Youssef e nunca foi”, retrucou a juíza, pedindo que o líder petista se resumisse a comentar o processo do sítio, sem fazer referências à Moro. “É melhor o senhor parar com isso”, finalizou.

Ao fim do processo, o ex-presidente voltou a afirmar que se sente “vítima” da Lava Jato. Na avaliação de Lula, sua condenação “se impôs” à Moro pela imprensa. “Eu me sinto vitima do processo do Tríplex, do processo do sítio e do terreno do instituto Lula” , disse. “Eu era um troféu que a Lava-Jato precisava entregar”, concluiu.

Quem é a juíza Gabriela Hardt?


A juíza Gabriela Hardt assumiu provisoriamente os processos da Lava Jato que estavam com Sérgio Moro
Reprodução/Twitter

A juíza Gabriela Hardt assumiu provisoriamente os processos da Lava Jato que estavam com Sérgio Moro

Gabriela Hardt ingressou na magistratura por concurso em 2007, sendo nomeada em 2009. Desde 2014 ela atuava como substituta de Moro na Lava Jato. Curitibana, ela é filha de Jorge Hardt Filho, engenheiro que trabalhou por vinte anos na Petrobrás. Ela é formada na  Universidade Federal do Paraná (UFPR), a mesma onde Moro lecionava direito. 

Leia mais:  Empresas afirmam que Bolsonaro e PSL não pagaram para impulsionar conteúdo

Leia também: Bolsonaro anuncia Ernesto Araújo como ministro das Relações Exteriores

Gabriela Hardt já vinha atuando em situações de ausência do magistrado titular. Foi ela, por exemplo, quem decretou a prisão do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu em maio deste ano. Além dos casos próprios, a juíza ficará provisoriamente a cargo também de todos os casos sob a responsabilidade de Moro, que não devem ser redistribuídos, permanecendo na 13ª Vara Federal.

A partir da exoneração de Moro, a vaga de titular aberta deverá ser oferecida por meio de um edital de remoção, do qual poderá participar qualquer juiz federal titular interessado que atue não só no Paraná, mas também em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Os três estados estão sob a supervisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), com sede em Porto Alegre.

 Sérgio Moro já anunciou seu afastamento imediato das atividades como juiz, “para evitar controvérsias desnecessárias”, disse, em nota. Ele deverá assumir a pasta da Justiça, que englobará a área de Segurança Pública e outros órgãos de fiscalização federal. A juíza Gabriela Hardt , assim, só ficará no lugar do ex-colega por um breve período, já que o TRF-4 escolherá um juíz titular para o cargo nos próximos meses.

Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana