Revista rebate advogado de Cristiano Ronaldo e diz que documentos são autênticos

2

Cristiano Ronaldo é acusado de estupro pela norte-americana Kathryn Mayorga
The Sun/Reprodução

Cristiano Ronaldo é acusado de estupro pela norte-americana Kathryn Mayorga

A revista alemã “Der Spiegel”, que vem noticiando o suposto caso de estupro de Cristiano Ronaldo nos Estados Unidos, resolveu soltar um comunicado oficial informando que todos os documentos publicados são autênticos e foram meticulosamente analisados.

Leia também: Pivô de escândalo sexual na Itália nega envolvimento com Cristiano Ronaldo

“Não temos razão nenhuma para acreditar que estes documentos sobre Cristiano Ronaldo não são autênticos. Analisamos meticulosamente todos os documentos e os mesmos foram legalmente revistos”, disse a revista.

O veículo de comunicação se defendeu das declarações de Peter Christiansen, advogado que lidera a defesa de CR7 no caso. Ele disse que seu cliente nega veementemente a acusação de estuprar uma mulher norte-americana e que os documentos com eventuais declarações reproduzidas pela revista são “puras invenções”.


Kathryn Mayorga diz que foi estuprada por Cristiano Ronaldo
Der Spiegel / Reprodução

Kathryn Mayorga diz que foi estuprada por Cristiano Ronaldo

No dia 28 de setembro, a norte-americana Kathryn Mayorga  conversou com o jornal alemão e revelou que Cristiano Ronaldo teria pagado a ela 375 mil dólares para que ela não revelasse um estupro ocorrido em 2009. O grupo ‘Football Leaks’ vazou documentos do processo movido entre as partes.

Leia também: Defesa de CR7 admite acordo, mas nega culpa em caso de estupro

O craque português se defendeu dizendo que a acusação era “Fake News” e que as pessoas estavam querem ‘alimentar um espetáculo midiático’ montado às suas custas. Depois da repercussão do ano,  outra mulher acusou Cristiano de estupro, no ano de 2005 enquanto o jogador ainda fazia parte do Manchester United.

A nota publicada pelos advogados faz menção aos documentos que foram vazados. “Em 2015, dezenas de entidades, incluindo sociedades de advogados, em diferentes partes da Europa foram atacadas e viram muita informação dos seus equipamentos eletrônicos ser roubada por um criminoso cibernético”.

O advogado Christiansen citou que esses documentos estão sendo usados de maneira distorcida pela mídia. “Embora Cristiano esteja acostumado a ser objeto da constante atenção das mídias, é absolutamente deplorável que certos meios de comunicação continuem a propagar e estimular uma campanha deliberada de difamação baseada em documentos digitais roubados e facilmente manipuláveis”, acrescentou.

Leia também: Polícia perde provas de ex-modelo contra Cristiano Ronaldo, diz revista

A nota termina dizendo que  Cristiano Ronaldo  “manifesta plena confiança em que a verdade prevalecerá”. Dispensado da seleção de Portugal na parada para amistosos e disputa da Liga das Nações, o jogador viajou ao país natal junto com a namorada para fugir dos holofotes.

Comentários Facebook