Haddad se reúne com CNBB e liderança do PSDB em Brasília; Bolsonaro convoca ato

1

Confira detalhes sobre a agenda dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)
Agência Brasil/Tânia Regô e Marcelo Camargo

Confira detalhes sobre a agenda dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)

Véspera de feriado nacional, esta quinta-feira (11) – que seria o dia do primeiro debate presidencial entre os dois  candidatos ao segundo turno das eleições de 2018, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) – será corrida para ambos os postulantes ao Palácio do Planalto. Isso porque, apesar do debate ter sido cancelado por motivos de saúde de um dos candidatos, a agenda dos presidenciáveis está cheia.

O candidato petista estará em Brasília durante todo o dia para reuniões na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). No encontro, Haddad pretende reiterar suas preocupações com a execução de um programa de governo baseado no respeito e na preservação dos direitos humanos e sociais. Segundo a agenda dos presidenciáveis , ele também deve destacar a prioridade nas ações direcionadas aos menos favorecidos.

Apesar de não estar na agenda oficial do candidato, há ainda a expectativa de que Fernando Haddad se reúna, ainda hoje, com o presidente nacional do PSDB, Carlos Siqueira. Apesar da legenda ser, historicamente, contrária aos petistas, ontem (10), parte do PSDB reiterou apoio à candidatura de Haddad – que até recebeu uma carta de apoio.

O candidato Jair Bolsonaro , por sua vez, também passará por um dia intenso.  Apesar da recomendação médica de evitar um ritmo acelerado de atividades e eventos de campanha – o que o fez cancelar sua presença no debate presidencial que aconteceria hoje na TV Bandeirantes –, Bolsonaro convocou um evento com apoiadores para o exato momento em que estaria no debate.

O evento convocado, por meio de interlocutores de Bolsonaro , é um ato político, no qual o candidato do PSL pretende se reunir com os políticos eleitos pelo PSL e partidos coligados. O ato será público, às 14h, no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca. A expectativa, segundo apoiadores, é reunir 380 pessoas.

Durante o encontro, será transmitido um discurso do candidato destacando a importância do engajamento no segundo turno.

Nas redes sociais, Haddad voltou a pedir que Bolsonaro participe dos debates e colocou-se à disposição para se reunir com o adversário em qualquer local. “Faço o que ele [Bolsonaro] quiser para ele falar o que pensa e debater o país. Com assistência médica, enfermaria, em qualquer ambiente”, afirmou.

Leia também: Haddad diz que está disposto a ir ‘até enfermaria’ para debater com Bolsonaro

Segundo a agenda dos presidenciáveis , não haverá debate entre Haddad e Bolsonaro até o dia 18 deste mês. Isso devido à recomendação médica recebida pelo candidato do PSL.

* Com informações da Agência Brasil.

Comentários Facebook