Jucá, Eunício, Lindbergh e outros caciques falham ao tentar reeleição ao Senado

4

Romero Jucá não consegue reeleição no Senado após 24 anos
Edilson Rodrigues/Agência Senado – 21.6.17

Romero Jucá não consegue reeleição no Senado após 24 anos

O presidente nacional do MDB, Romero Jucá, não conseguiu a  reeleição para o Senado neste domingo (7). Após 24 anos atuando em cargos públicos, ele tentava renovar o mandato pela quarta vez consecutiva em Roraima, mas acabou com a terceira colocação.

“Por 434 votos, infelizmente não entramos no Senado”, afirmou, em vídeo publicado nesta segunda-feira (8) em sua conta no  Facebook . “Muitos ataques, muitas agressões e muitas mentiras fizeram com que eu tivesse essa condição de perder votos”, completou, explicando a falha na reeleição para o Senado . Depois de agradecer pelos votos recebidos e lembrar que, até fevereiro de 2019, quando os novos eleitos tomarão posse dos cargos, continuará trabalhando pelo estado.

Leia também: Romero Jucá deixa a liderança do governo Michel Temer

Roraima elegeu Chico Rodrigues (DEM), com 22,75% dos votos válidos, e Mecias de Jesus (PRB), com 17,43%. Jucá veio logo atrás, com 17,34% e uma diferença de apenas 434 votos para o segundo candidato eleito. Desde agosto, o emedebista já oscilava entre a terceira e a quarta colocação nas principais pesquisas de intenção de voto.

Outros grandes nomes não conseguem a reeleição para o Senado


Lindbergh Farias (PT-RJ) , no cargo desde 2011, também não consegue a reeleição para o Senado
Pedro França/Agência Senado – 28.3.18

Lindbergh Farias (PT-RJ) , no cargo desde 2011, também não consegue a reeleição para o Senado

Outros candidatos tradicionais na história política e com longos mandatos, como o petista Lindbergh Farias, também ficaram sem cargos e se manifestaram nas redes sociais. Lindbergh, senador pelo Rio de Janeiro desde 2011, tentava a reeleição para o cargo – sem sucesso. No Twitter, ressaltou a importância da votação de Fernando Haddad (PT): “Agora, a tarefa é eleger Haddad presidente no segundo turno, derrotando aquele que se diz anti-sistema, mas votou tudo com Temer. À luta!”.

Também no Twitter, Roberto Requião (MDB), candidato no Paraná, comentou a derrota nas urnas : “Efeito Bolsonaro e duro ataque de infamias e calúnias nas redes nos ultimos dias”. O candidato era líder nas pesquisas de intenção de voto ainda no sábado (6).

Leia também: Eleições 2018: Senado tem 85% de renovação, a maior de toda a sua história

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), também não conseguiu a reeleição para o Senado no Ceará. Outros nomes de destaque, como Magno Malta (PR) e Edison Lobão (MDB) também ficaram de fora do Congresso.

*Com informações da Agência Brasil

Comentários Facebook