Dia das Crianças deve movimentar R$ 9,4 bilhões no varejo, apontam CNDL e SPC

1

Para especialistas, o Dia das Crianças representa a última festa comemorativa antes do Natal e dará sinais de como será o desempenho das vendas no final do ano
Shutterstock

Para especialistas, o Dia das Crianças representa a última festa comemorativa antes do Natal e dará sinais de como será o desempenho das vendas no final do ano

Apesar da lenta retomada da economia refletir no ânimo dos brasileiros, a maioria dos consumidores (72%) deve ir às compras no próximo Dia das Crianças — e a expectativa é de que o varejo movimente cerca de R$ 9,4 bilhões nesta data. É o que revela a pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais.

Leia também: Receita libera consulta ao quinto lote de restituição do Imposto de Renda

Os gastos com as lembranças para o Dia das Crianças , porém, prometem ser ponderados. De acordo com o levantamento, 39% dos entrevistados que presentearão, principalmente filhos, sobrinhos, netos ou afilhados, pretendem gastar o mesmo valor do ano passado, enquanto 24% planejam compras presentes mais baratos. No total, cada consumidor deve desembolsar, em média, R$ 187.

Os impactos da crise econômica ainda contribuem para que boa parte dos consumidores gaste menos nesta data. O orçamento apertado (34%) é apontado como principal motivo desta cautela, seguido pelo desejo de economizar (24%), o desemprego (18%) e outras prioridades de aquisição (9%), como carro e casa, por exemplo. Outros 8% também precisam pagar dívidas em atraso.

O Dia das Crianças representa a última festa comemorativa antes do Natal e dará sinais de como será o desempenho das vendas no final do ano. “As intenções de compra da data servirão de termômetro para o fim de ano, principalmente em um momento que o poder de compra das famílias continua sendo afetado pelas dificuldades econômicas”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Perfil das compras


Segundo levantamento da CNDL e do SPC, a maioria (66%) dos consumidores espera pagar os presentes de Dia das Crianças à vista, e o dinheiro será a opção de 51% dos entrevistados
Shutterstock

Segundo levantamento da CNDL e do SPC, a maioria (66%) dos consumidores espera pagar os presentes de Dia das Crianças à vista, e o dinheiro será a opção de 51% dos entrevistados

Embora os brasileiros estejam mais moderados, a pesquisa da CNDL e do SPC mostra que cerca de um terço (30%) pretende comprar dois presentes e 25% apenas um. A maioria (66%) espera pagar os produtos à vista e o dinheiro será a opção de 51% dos entrevistados, à frente do cartão de crédito parcelado (34%) e do cartão de débito (28%).

Leia também: Inflação de setembro fica em 0,48% e acumulado do ano ultrapassa meta do governo

Os shoppings são o lugar preferido de 42% dos consumidores para fazer suas compras (42%), enquanto 35% optarão pela internet, provavelmente motivados pela comodidade e praticidade. Outros 28% mencionaram que buscarão o tradicional comércio de rua.

Mesmo com uma inflação menor – 4,53% nos últimos 12 meses – se comparada ao auge da crise econômica, a maioria dos entrevistados (59%) avalia que os preços dos presentes estão mais caros do que em 2017. Para 31%, os preços estão na mesma faixa e apenam 6% dizem estar mais baratos.

O estudo aponta, ainda, que 80% dos consumidores pretendem pesquisar preços antes de comprar, em especial as mulheres (84%) e as classes C e D (82%). Entre os que adotam a prática da comparação pela internet (77%), os meios de pesquisa mais utilizados são os sites de busca, como o Google (66%), os aplicativos de comparação de preços (51%) e os sites de ofertas (48%).

No ranking dos tipos de presente que devem ser mais escolhidos pelos consumidores, as roupas e calçados (38%) aparecem em primeiro lugar, seguidas pelas bonecas (37%) e pelos aviões e carrinhos de brinquedo (21%).

A inadimplência e o Dia das Crianças



Reprodução

“Para quem está com as contas em dia, a recomendação é planejar os gastos de Dia das Crianças e pagar à vista”, orienta Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil

Segundo a economista do SPC, os consumidores só devem ir às compras se o orçamento permitir e se não tiverem contas em atraso. “Mesmo que os valores pareçam baixos, todo esforço deve ser direcionado ao pagamento das dívidas. Para quem está com as contas em dia, a recomendação é planejar os gastos e pagar à vista”, orienta Marcela.

Leia também: Preço da cesta básica cai em dez das 18 capitais, indica Dieese

Quando questionados se costumam gastar mais do que podem para presentear no Dia das Crianças, a maioria dos entrevistado (74%) respondeu que não. Outros 22%, porém, reconheceram que assumem despesas acima de suas possibilidades financeiras.

A consequência do hábito de gastar além do próprio orçamento é a inadimplência : 28% dos que pretendem fazer compras nesta data possuem alguma conta atrasada – e 69% destes consumidores estão com o nome sujo. Entre os que compraram presentes para o Dia das Crianças passado, 23% admitem ter ficado negativados, sendo que 16% destes ainda estão nesta situação.

Divisão dos gastos


Em tempos de dificuldades, dividir o valor dos presentes de Dia das Crianças com outras pessoas para economizar é uma alternativa que atrai muitos brasileiros
Shutterstock

Em tempos de dificuldades, dividir o valor dos presentes de Dia das Crianças com outras pessoas para economizar é uma alternativa que atrai muitos brasileiros

Em tempos de dificuldades, dividir o valor dos presentes com outras pessoas para economizar é uma alternativa que atrai muitos brasileiros. Segundo o levantamento da CNDL e do SPC, cerca de 15% dos entrevistados pretendem dividir o valor das compras, sendo que metade deve fazê-lo com o cônjuge, 24% com o pai ou a mãe da criança e 21% com outros familiares.

Leia também: FGTS como garantia para o crédito consignado: regras, requisitos e restrições

Para 32%, a divisão do preço do presente será usada como estratégia de redução dos gastos . Mas uma parcela significativa dos consumidores também respondeu que vai recorrer à alternativa por estar com o orçamento apertado (26%) ou por estar desempregado (22%). Apenas um em cada oito entrevistados respondeu que espera pagar pelos presentes sozinho, sobretudo os homens (86%).

Influências na escolha


Quase todos os consumidores (92%) que participaram do levantamento disse acreditar que a publicidade influencia seus filhos na hora de pedirem presentes para o Dia das Crianças
Shutterstock

Quase todos os consumidores (92%) que participaram do levantamento disse acreditar que a publicidade influencia seus filhos na hora de pedirem presentes para o Dia das Crianças

O estudo também analisou o protagonismo das crianças na escolha dos presentes e a influência de seu círculo social e dos meios de comunicação nos seus hábitos de consumo. De acordo com a pesquisa, 37% dos entrevistados disseram se sentir pressionados pelos pequenos para comprar o que eles desejam, mas outros 62%, não.

Leia também: Ainda não recebeu primeira parcela do 13º salário? Confira prazos e direitos

Quase todos os consumidores (92%) que participaram do levantamento, especialmente os de 35 a 54 anos (96%), disse acreditar que a publicidade influencia seus filhos na hora de pedirem presentes para o Dia das Crianças . Além disso, a grande maioria (91%) ouvida também concorda em algum grau que as crianças sejam influenciadas por outras na definição dos presentes que gostariam de ganhar.

Comentários Facebook